Salada Waldorf leve

De onde veio?

Salada Waldorf, para quem não sabe, é uma salada das mais famosas hoje no mundo e cuja origem, é bastante polêmica.
Alguns estudiosos no assunto afirmam, que foi criada pelo grande Chef de cozinha francês Auguste Escoffier na segunda década do século XX, em homenagem ao Hotel Waldorf em NY.
Outros contam que foi a criação de um americano, para celebrar a abertura do mesmo hotel.
A versão mais comum seria a de que  Oscar Tshirky fosse o criador da salada e chef de cozinha do Hotel Waldorf-Astoria aberto em 1931. Este  maître teria criado a salada a pedido do senhor Waldorf .
Histórias à parte, eu aaaamooo esta salada.  Quando vou a algum restaurante ou evento onde ela é servida, logo me jogo de cabeça na travessa, de tanta felicidade.
É um prato clássico e bastante tradicional nas ceias de final de ano aqui no Brasil, refrescante, lindo e fácil de fazer.  Por isso vou postá-lo para você ir planejando seu cardápio da ceia natalina ou de final de ano.  Mas a verdade é que você pode comê-lo ao longo do ano, viu? Não entendo por que será que nos privamos de alguns pratos por tanto tempo, presos às tradições…

Salada Waldorf leve

Esta versão de salada Waldorf leve foi a que escolhi, inspirada no site panelinha.ig, o último Natal que passei com minha família uruguaia, em Montevidéu.  Foi um mega-encontro já que até  primarada que mora além da linha do Equador se deslocou para essa grande confraternização familiar.
É uma versão bem legal, pois usa iogurte, no lugar de creme de leite, e nós que somos focadérrimos em dieta (kkk) curtimos muito a ideia.

A grande família

Sendo uma família numerosa, e espalhada pelo mundo afora, propusemos a brincadeira de que cada um preparasse alguma coisa típica do Natal em sua terrinha.
Eu, que não sou nem um pouco empolgada (rsrsr), fiz esta salada e mais uma porção de pratos.  Salpicão de frango e abacaxi, espetinhos caprese, rabanetes com iogurte e até um crumble de maçã gigantesco, que foi servido junto com sorvete de creme pela minha querida prima Gaby, a anfitriã.
Nem tudo era bem típico do nosso Natal brasileiro, mas foram ideias que pipocaram em minha cabeça quando estava no supermercado com meu primo Guz.  Eram 17 horas, recém voltávamos da praia, e ainda estávamos bolando o menu para a ceia dessa mesma noite!  Parecia aquele programa Master cheff: os dois correndo pelo mercado, olhando o que tinha e pensando em receitas, tudo a mil por hora! Kkk
Mas deu tudo certo.  Vou postar as outras receitas futuramente.
Além desta versão leve, e da clássica, existem muitas versões da salada Waldorf.  Há quem acrescente folhas verdes, uvas, mostarda, queijo gorgonzola…

Classificação da Receita

  • (0 /5)
  • (0 Classificação)

Instruções

Lave as maçãs e o salsão e seque-os. Pique as nozes, reservando uns pedaços maiores para a decoração.
Numa tigelinha misture o iogurte, maionese, suco e um limão, azeite de oliva e tempere com sal e pimenta.
Corte as maçãs ao meio, retire-lhes as sementes e fatie ¼ de uma delas, formando meias-luas, reservando para a decoração.  Não se esqueça de regá-las com um pouquinho de suco de limão, para que não oxidem e escureçam!
Corte o restante das maçãs em cubos pequenos ou fatias, como preferir apresentar sua salada (eu optei por cubos).  Regue com limão, pelo mesmo motivo que acabei de falar.
Com o descascador de legumes, ou uma faca, retire as fibras filamentosas do salsão.  Fatie-o fininho (ou pique!).
Agora a hora do show!  Adicione às maçãs picadas o molho, as nozes, uvas-passa e salsão, misturando bem.
Passe para uma tigela bonita e decore com as fatias de maçã reservadas, as nozes e folhas de salsão. Deixe na geladeira até a hora de servir.
Dura vários dias na geladeira.  Isto é, se sobrar...rsrsrs

Sobre o Chef

Diana Marília

Texto sobre quem escreve

Você também vai gostar de: