Purê de abobrinha

Como não tinha pensado antes?

Uma das melhores coisas que há no mundo culinário é a ausência quase absoluta de limite para a imaginação e criatividade.  Assim como acontece também na arte.  A gente vê, ouve, prova, e se encanta.  Mas alguém pensou nisso, construiu, criou, compôs.  Antes.
Diante de algumas maravilhas da criação você se pergunta “como não tinha pensado antes?” Já diante de outras, só resta se espantar com o talento, com o dom de quem o tem…
Por exemplo, imagine a música mais linda que você já ouviu.  Já parou pra pensar que ela surgiu do mais absoluto silêncio?  Sempre penso nisso quando ouço música clássica, quando uma orquestra executa alguma obra, cada instrumento com sua melodia, seus silêncios, sua força.  Que incrível mente foi capaz de criar isso!
Na culinária, então, a admiração é muito frequente.  São infinitas invenções: de um ovo frito até a gastronomia molecular. Gênios.  Dá a impressão de que já não há mais o que inventar.  Aí vem alguém e lança uma novidade: canudo de pizza, mini-coxinha no copo, e tantas outras.
Bem, eu achei o purê de abobrinha uma grande ideia.

Expandindo horizontes

Pensar em purê não tem porquê nos prender aos limites do universo de tubérculos.  Purê de batata, de batata doce, de mandioca… e só?  Nada disso!
A proposta deste purê de abobrinha foi uma ideia tirada do site receitas e temperos, que eu adaptei um bocadinho em termos de proporção de ingredientes, e ficou delicioso.  Surpreendentemente delicioso.  A família inteira amou.

Legume não, fruta!

Eu não sei você, mas eu me sinto uma pessoa muito elucidada e culta quando alguém chama o tomate de legume.  E aí, do alto de meus conhecimentos corrijo: “não é legume, meu caro, é fruta” e fico aguardando as exclamações de “ohhh, verdade?  Ou “como assim?” e aí vem a parte boa de explicar que é a parte do vegetal que rodeia as sementes, o ovário amadurecido, etc.
Mas como a revelação do tomate-fruta já está virando lugar comum, está na hora de lançar uma nova manchete.  Ou várias!  Preparado?
Também são frutas o pepino, a berinjela, o chuchu e o pimentão!!!!!
Não é fantástico?
Já pensou quantas pessoas você irá surpreender a partir de agora com essa informação? rsrsrs
Mas agora chega de falar abobrinhas e vamos à receita.

Classificação da Receita

  • (5 /5)
  • (1 Classificação)

Instruções

Lave, despreze as pontas e corte as abobrinhas em cubos pequenos de, no máximo, 2 cm de lado.
Descasque e pique a cebola e o alho do tamanho que preferir (depois tudo irá ao liquidificador).
Lave o manjericão e despreze os talinhos.
Em uma panela coloque 1 colher de azeite, a cebola, alho, abobrinhas e manjericão (reserve algumas folhinhas para a decoração).
Misture e leve ao fogo refogando por três a cinco minutos ou até que a abobrinha esteja macia.  Desligue e deixe amornar ligeiramente.
Passe tudo para a jarra do liquidificador, junte a outra colher de azeite e bata até ficar homogêneo.
Devolva à panela, tempere com sal e pimenta.  Acrescente a manteiga e misture.  Depois o requeijão e mexa.
Sirva quente, decorando com o manjericão reservado.
Sorria. Você pode não ter escrito a sinfonia, mas a executou divinamente e merece todos os aplausos.

Sobre o Chef

Diana Marília

Texto sobre quem escreve

Você também vai gostar de: