Polenta na panela de pressão

Uma mesa italiana lembra o quê?

Vamos lá! Feche os olhos, imagine e me responda.  Ao pensar em comida da Itália, naquela deliciosa gastronomia, o que vem à sua mente de imediato?  Escolha três pratos.
É muito provável que você tenha mentalizado uma bela travessa de spaghetti.  Massas constituem um dos mais tradicionais e ricos pilares daquela cozinha que eu tanto amo.  Sem dúvida alguma começamos bem.
Pizza?  Sim, também!  Pode ficar no segundo lugar.
E o terceiro?  Po-len-ta!!!  A deliciosa polenta italiana, sim!!
Massas, pizza e polenta.  Ahhhh, como é bom estar na Itália!

Herança ou livre escolha?

Me disseram que sou descendente de espanhóis, pelo lado paterno, e de italianos, pelo lado materno.  Se o paladar é herdado, está aí a explicação para minha devoção para ambas culinárias.  Mas creio que os sabores que vêm daquela península não precisam do artifício da herança genética para conseguirem adeptos.  Basta provar aqueles pratos que a pessoa vira fã.

A história da polenta

Sempre ouvimos falar de que a polenta era originária da Itália, não é mesmo?  Mas o milho para prepará-la foi levado por Cristóvão Colombo quando voltou da Europa.  Daí os camponeses italianos se viraram para cultivá-lo e facilmente o transformaram nesse prato que tanto ajudou a combater a fome da população.
Essas e outras informações bacanas as extraí do blog da Isa Discacciati, que mora na Itália, o italiaperamore.

A história da polenta na panela de pressão

Tudo bem, sempre gostei de polenta, tenho vínculo genético com a Itália e então?  Por que é que quase nunca essa comida aparecia aqui em casa, hein?
Eu não sei de onde vem, mas mooorrooo de medo de fazer polenta, da forma tradicional.  Aquela em que a água fica fervendo e você tem que ficar mexendo na panela enquanto despeja a farinha de milho, mexe e mexe, e espera tudo cozinhar.
Aquele borbulhar de lava candente e eu dando pulos para desviar desses espirros incandescentes foi, por muito tempo, a causa de eu me fingir de surda quando alguém sugeria esse prato para algum almoço ou jantar.
Fora a força que tem que fazer quando a coisa toda começa a engrossar e ficar pesada!  Já não tenho saúde pra isso…
Assim foi até que uma amiga me deu a dica de preparar polenta na panela de pressão! –
– O quê??? Isso seria possível?
Não só é possível.  É um sonho!
Assim, me acompanhe nesta descoberta que liberta e comemore o fim do pânico. Hahahah!
Não posso me esquecer de mandar fazer uma estátua também para minha amiga Ana Maria, que compartilhou essa dica comigo…

Classificação da Receita

  • (0 /5)
  • (0 Classificação)

Instruções

Pique bem a cebola e o alho.  Na panela de pressão coloque o óleo, aqueça e refogue a cebola até dourar.  Junte o alho e refogue mais uns instantes.
Coloque um litro de água e deixe em fogo forte até começar a ferver.
Misture o fubá na água restante e despeje-o, junto com o caldo e um pouco de sal, na panela.  Tampe e conte quinze minutos depois do início da pressão.
Desligue, espere sair o vapor, junte a manteiga, mexa e sirva, polvilhando parmesão e decorando com folhas de manjericão.
Acompanhe preferencialmente com franguinho ensopado.
Hummm! Que coisa maravilhosa!  Deliciosa e sem queimaduras!
Viva a Itália! E viva minha amiga!

 

Sobre o Chef

Diana Marília

Texto sobre quem escreve

Você também vai gostar de: