Lasanha ao pesto genovês

Precisa justificar?

Quando ia começar a escrever este post pensei que devia ter algum componente hereditário o fato de eu amar tanto as massas.  E, o que é mais interessante, ainda, é que creio gostar mais de prepará-las do que de comê-las! Pode isso, gentem?
A justificativa da qual sempre lanço mão, é que sou descendente de italianos, por parte de mãe e blá blá blá.
Mas não precisa ter um gene dançando tarantela para você gostar de algo tão delicioso quanto as massas, né?  Onde fica, senão, o livre arbítrio de nosso paladar?

Uma senhora massa

Entre o infinito mundo das massas, a lasanha tem um lugar de destaque.  É uma senhora massa.  Isso de um modo geral, creio que assim é para a maioria das pessoas, mas também tem esse lugar de destaque em minha preferência.  Gosto muito, mesmo (neste caso ainda mais de comê-la do que de fazêla! Kkk) e também me traz muitas lembranças boas.
Lasanha era um dos pedidos de minha turminha quando eu perguntava o que queriam comer no almoço de domingo.  Época de todos em casa, a mesa cheia, filhos adolescentes, seus amores e amigos, muita conversa, amor e alegria…e a lasanha ali, cheirosa, borbulhante, congregando, fazendo a alegria de todos.  Como não amar?

Um encontro fortuito

Algum tempo atrás eu estava passando uns dias na casa de minha irmã quando ela foi ficando preocupada com o fato de que eu não estava testando receitas e, consequentemente, minhas postagens ficariam comprometidas.
Por isso, no afã de me ajudar (não que ela seja gulosa, jamais!), me ofereceu diversos livros de cozinha de seu acervo, para que eu os folhasse e, talvez, me inspirasse para testar algumas receitas.
Em um deles, chamado “A grande cozinha – Massas, da Abril Coleções” encontramos a receita desta delícia de lasanha ao pesto genovês.  Gentem do céu!  A melhor lasanha que já comemos, eu creio!

Lasanha ao pesto genovês

Na pressa de fazer, acabei me confundindo e coloquei muito molho, o que deixou a lasanha beeeeem molhada (claro!), mas deliciosa.  Nas fotos você vai perceber que ela está bem encharcada, escorregadia e, como não a fiz novamente, posto com essas fotos, mesmo.
Mas não se preocupe que aqui na explicação já coloquei as quantidades corretas, beleza?
Pesto é um molho de origem italiana, mais especificamente de Gênova, no norte da Itália.  Azeite, manjericão, pinoli (ou nozes), alho, queijo parmesão ou pecorino…tudo moído no pilão.  Aliás, é por causa dessa forma de preparo ideal que tem o nome esse molho.  Em italiano, “pestare” significa socar, triturar, como se faz no pilão.
Claro que, quando a pressa nos cerca, um processador ou liquidificador são uma mão na roda!

Classificação da Receita

  • (0 /5)
  • (0 Classificação)

Instruções

Prepare o bechamel.  Aqueça o leite.  Derreta a manteiga em uma panela e misture a farinha de trigo, mexendo bem por um minuto.
Junte o leite quente, mexendo energicamente.  Tempere com sal, pimenta e noz moscada.  Se quiser coloque uma folha de louro.  Reserve.Cozinhe a massa de lasanha, um pouco de cada vez (coloquei quatro folhas por vez) em abundante água fervente com sal, por dois minutos.  Passe para um bowl com água fria e, depois, acomode sobre um pano de louça seco, sem sobrepor as folhas.
Eu não fiz isto último, mas acho conveniente fazer, para que a lasanha não fique molhada demais).
Prepare o pesto.  Em um pilão (ou usando o processador, mas eu não tinha aqui), amasse o alho com uma colher (café) de sal.  Junte as folhas de manjericão, lavadas e enxutas, amassando bem.  Depois as nozes (ou pinolis, se o seu bolso o permitir) e amasse infinitamente até virar uma pasta.  Some o queijo parmesão, misture, e também o azeite.
Junte os dois molhos e monte a lasanha.
Em uma travessa retangular untada coloque um pouco do molho e uma camada de massa.  Cubra com molho, um pouco de parmesão, mais massa, molho, queijo, e assim por diante até terminar com molho.  Distribua a manteiga, em pedacinhos e mais um pouco de parmesão.  Leve ao forno quente por aproximadamente meia hora.  Deixe descansar fora do forno por dez minutos antes de servir (a gente não esperou e, por isso, a lasanha ficou muito molhada, além do fato de eu ter feito mais do dobro de bechamel, por distração! Kkkk).
Coma quente.
Se quiser, dance uma tarantela de alegria (e também para queimar um pouco das calorias!!!)

Sobre o Chef

Diana Marília

Texto sobre quem escreve

Você também vai gostar de: