Creme de chuchu gratinado

Coitadinho do chuchu!

“Cria fama e deita na cama”, diz o ditado, significando que, depois de feita a fama, é difícil revertê-la.  Mas aqui estamos, unidos para defender o chuchu!!
A fama dele, de ser sem graça, de valer muito pouco, tem que ser derrubada!
Sim, porque o sabor dele é suave, mas não que não tenha.  É delicado e isso lhe confere uma versatilidade muito boa!  Quem sabe tirar proveito disso, terá um grande aliado na cozinha.
Coloque camarão, e terá um ensopado delicioso, e “que rende”!  Carne moída?  A mesma coisa!  Neste caso, a proposta do creme de chuchu é  misturá-lo com queijo, mussarela e parmesão.  Ficou um creme gratinado suave, fofo e delicioso.  Se fosse feito em forma mais alta, de base menor, seria um suflê.

Benefícios nutricionais

Já falei um pouco disso, em prol de valorizar esta hortaliça, quando postei o creme de chuchu com calabresa.  Tem vitaminas, sais minerais, fibras e é pouco calórico, meus queridos!
A primavera já está se aproximando e está mais do que na hora de reverter a situação se você se acomodou e começou a engordar durante o inverno, ok?  Este monte de camadas de roupas que tudo camuflam tem seus dias contados, viu?

Gratinar

A gente já sabe o que é gratinar, claro, mas nada custa dar uma incrementada no saber, não é?  A palavra tem origem francesa e significa cobrir um alimento com pão ralado (farinha de rosca) e/ou queijo para deixá-lo dourado e crocante.
Em restaurantes mais “chiques” você poderá encontrar no menu a expressão “au gratin” que significa, em francês, gratinado.
Se você tem um forno com essa função, esse processo vai ser moleza.  Caso contrário, deverá subir o alimento para a grade mais alta, já que o calor sobe e nessa posição seu creme de chuchu irá dourar com mais facilidade.

Classificação da Receita

  • (0 /5)
  • (0 Classificação)

Instruções

Com muuuuito cuidado e paciência, lave e descasque os chuchus.  Eu prefiro cortá-los em quatro, no sentido do comprimento.  Ou mais pedaços, para poder retirar o miolo e a casca com mais facilidade, inclusive a que fica enfiada nas ranhuras (Deus não podia ter feito ele mais lisinho?).
Depois corte em cubos e cozinhe cobertos com água e com uma colher (chá) de sal.
Enquanto isso pique a cebola e doure-a na manteiga.
Coloque o chuchu escorrido no processador, junto com a cebola refogada, as gemas, a maisena, sal e pimenta a gosto e processe até ficar uma mistura homogênea.  Se não tiver processador pode amassar o chuchu com garfo e depois misturar os demais ingredientes.
Passe esse creme para um bowl.  À parte bata as claras em neve e misture-as delicadamente ao creme.  Despeje em uma forma refratária untada, polvilhe com parmesão e leve ao forno em temperatura moderada até firmar e dourar.
Sirva quente.

Sobre o Chef

Diana Marília

Texto sobre quem escreve

Você também vai gostar de: