Feliz ano novo!

A transição do calendário mexe com a gente, não é mesmo?  Escrevemos metas, fazemos planos, mergulhamos em reflexões, abraçamos desejos renovados.
Gostamos de ouvir e dizer coisas que funcionem como bolhas de champanhe, estrelas no céu da boca, ou da alma.
Mas este ano, em que tive alguns tropeços doloridos, vou preferir não me aventurar em pensamentos próprios, por receio de estarem um pouco… como dizer? Convalescentes?
Para não passar batido este momento cheio de significado, que é abrir o ano e, na primeira folha em branco, começar a escrever, resolvi apenas transcrever um texto da incrível Martha Medeiros, a quem cada vez admiro mais.
Espero que o apreciem e que a gente cresça junto durante todo o novo ano.
Um abraço, feliz 2017, e até amanhã, com receita nova! (clique no “Continuar lendo” lá embaixo, ok?)

FELIZ ANO NOVO 

Foi-se embora mais um ano, 12 meses, mais de 300 dias em que pagamos contas e procuramos lugar pra estacionar.
Um ano a mais de experiências vividas, um ano a menos de juventude. Um ano a mais de filmes de que gostamos, trabalhos que nos frustraram e pessoas com quem convivemos menos do que gostaríamos.
Tempo consumido em chopes, estradas, telefonemas, suor, tevê e cama. Você envelheceu ou cresceu este ano?
Envelhecemos sentados no sofá, envelhecemos ao viciar-nos na rotina, envelhecemos criando os filhos da mesma forma como fomos criados, sem levar em conta algumas novas necessidades, outras formas de ser feliz.
Envelhecemos passando creme antirrugas no rosto antes de dormir, envelhecemos malhando numa academia, envelhecemos nos queixando da tarifa do condomínio e achando que todo mundo é estúpido, menos nós.
Envelhecemos porque envelhecer é mais fácil do que crescer. Crescer requer esforço mental. Obriga a tomadas de consciência. Exige mudanças.
Crescer é a anti-repetição de ideias, é a predisposição para o deslumbramento, é assumir as responsabilidades por todos os nossos atos, os bem pensados e os insanos.
Crescer dá uma fisgada diária no peito, embrulha o estômago, tem efeitos colaterais. Machuca. Envelhecer não machuca.
Envelhecer é manso, sereno.
Envelhecer é uma apatia, um não-desempenho, um deixa pra lá, vamos ver o que acontece. O que acontece é que você fica mais velho e se considerando tão sábio quanto era anos atrás, anos que se passaram iguais, sabedoria que não se renovou.
Crescer custa, demora, esfola, mas compensa.
É uma vitória secreta, sem testemunhas.
O adversário somos nós mesmos, e o prêmio é o tempo a nosso favor.

Feliz Ano Novo.

Martha Medeiros

E eu, Diana =D

 

Subscreva

Inscrever-se para receber atualizações via e-mail.

Não há comentários ainda.

Deixe uma resposta

?>